Ainda não é hora, mas vamos falar de Carnaval em Cruzeiro do Sul?



Quando passar o Réveillon, o País já se depara com uma das maiores festas que é o Carnaval. O Brasil pára de ponta a ponta. Uma frase que virou ditado popular, mais que acaba sendo verdade diz a seguinte frase; o ano no Brasil só começa depois do carnaval.

Comprovadamente as instituições que regem o Brasil, como Parlamento, tanto senado, como câmara sim. Mas o assunto que quero colocar em discussão é sobre nosso carnaval, aquele que mexe com os milhares de foliões de Cruzeiro do Sul todos os anos.

O Carnaval popular de nossa cidade virou uma marca do povo, cheio de alegria, descontração e irreverência. Mas de uns anos para cá, os Cruzeirenses tem dividido seu carnaval em duas partes. Um carnaval dos foliões de rua; aqueles que caem no Gamelão e se divertem a noite toda e aqueles que se organizam nas escolas de samba.
Pois é sobre elas que quero fazer um comentário. Posso até estar equivocado, mas todos são testemunhas que o período em que se antecedem o carnaval, entra em discussão a reorganização das escolas de samba existente em nossa cidade. 

Temos o Morro da Glória, Império dos Náuas, Bairro do Alumínio e Baixa Futebol e Samba.
Isso não vem ao caso, poderia ter até 10 ou mais. O problema é a desorganização, pois os diretores de escolas,cobram do Governo do Estado, da Prefeitura; os incentivos financeiros para cobrirem seus gastos e estarem prontas para cair na avenida.

Pois bem, eles acabam recebendo os recursos, preparando suas escolas com muita dificuldade, e garantem o desfile de suas agremiações. O me deixa intrigado é ver minutos depois; toda decoração e adereços, serem jogados fora.
 Carros alegóricos jogados ao tempo

Não se ver por parte de algumas escolas, uma preocupação em reaproveitar as fantasias, os carros alegóricos, para que os mesmos diminuam os transtornos e as despesas no ano seguinte.

Não sou contra as escolas de samba, mas tinha que ter mais responsabilidades, ou mudar de estratégia. Era simples; ao invés de escolas, que fizessem os blocos de abadas. Cada Bloco se organizaria para vender sua marca aos seus membros e assim o investimento do setor público fortaleceria o carnaval de rua e aumentaria os recursos com as campanhas de prevenção da AIDS.

Mas como não sou quem decide, esperamos uma melhor organização dos mesmos. Mas uma coisa, vamos combinar; o carnaval não desculpa alguma para se começar o ano.

Share this:

Comentários

2 comentários :

  1. Muito bem colocado amigo... Parabéns...

    ResponderExcluir
  2. Isso é dinheiro jogado fora, concordo plenamente com vc,investe em outra coisa meus amigos governantes, é uma ótima idéia essa de blocos.

    ResponderExcluir

Deixe Seu Comentário