Crianças deixam de ser vacinadas por falta de vacinas e seringas nos postos de saúde


crinça vacinaDiversas crianças que foram levadas por seus pais aos postos de saúde para serem vacinadas não foram atendidas porque estava faltando além de vacinas, as seringas para a aplicação. A reclamação foi feita por um pai que mora no bairro São José e foi ao Posto da 25 de Agosto e também na Unidade de Saúde Antonio Barahuna Bezerra, que fina no PAN, mas não conseguiu vacinar o filho de um mês de vida contra Hepatite B.
Nas unidades de saúde de responsabilidade da Prefeitura de Cruzeiro do Sul não foi dada nenhuma informação aos pais que não foram atendidos sobre quando a vacina e o material para sua aplicação estariam a disposição para atender as crianças, causando revolta nas pessoas que se sentiram abandonadas.
Fabiano Rodrigues, que mora no bairro São José, acompanhado da esposa, levou o filho de um mês de vida para receber a vacina contra Hepatite B e não gostou da forma que foi atendido. Ele protestou, afirmando que é desta maneira irresponsável que o prefeito Vagner Sales trata os cruzeirenses.
“Chegamos no posto para vacinar o nosso filho e a moça simplesmente informou que não tinha seringa para atender a criança. Acho isso uma falta de responsabilidade da prefeitura. Muita gente que mora mais longe que eu voltou sem ser atendido e parece que isso não significa nada para esse pessoal que diz que vive tratando bem as pessoas. Não podemos continuar assim, mas o povo tem uma arma poderosa que é o voto e precisa se lembrar destes descasos na hora que for votar. Isso é um absurdo”, disse revoltado.
A coordenadora do Programa Nacional de Imunização, Janaína Negreiros, da Secretara Municipal de Saúde, informou que as vacinas já estão em Cruzeiro do Sul e não foram entregues por conta de uma reforma que está sendo feita no Hospital de Dermatologia.
“O município de Cruzeiro do Sul, como os demais, recebe as vacinas e as seringas do Ministério da Saúde, através do Estado, que repassa mensalmente aos municípios, através da rede de frios regional que fica no Hospital de Dermatologia. Então, esta vacina chegou ao município no final de semana, mas não pode ser entregue porque está havendo uma reforma na sala onde está armazenada e para não expor a vacina aconteceu este atraso de um ou dois dias”,
Segundo a coordenadora aconteceu um contratempo que já está sendo regularizado, pois a rede de frios estará repassando o material, pedindo paciência à população.
“Pedimos desculpas a população porque foi uma coisa que fugiu ao nosso controle. No caso das seringas, fora a cota que o Estado repassa o município também compra para que não falte quando acontece a demora na entrega pelo Ministério e Estado, mas o pedido está para a licitação, sendo um pouco mais demorado. Então, garantimos que o problema amanhã já estará solucionado”, afirmou.     
www.vozdonorte.com.br - Da redação

Share this:

Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário