Prefeito Wagner Sales culpa o vento e o Ministério dos Esportes por erros em projeto, mas vereador aponta a corrupção como causa

Cruzeiro do Sul – Pela segunda vez consecutiva num período de poucos meses, a cobertura e boa parte da estrutura da Praça da Juventude “Doverley Dias de Souza”, em Cruzeiro do Sul, inaugurada em agosto do ano passado, caíram e a destruição do patrimônio público passaram à chamar à atenção da sociedade do município, principalmente aos vereadores não alinhados com o prefeito Wagner Sales (PMDB), para um problema bem mais grave: a corrupção e desvio de dinheiro público na execução de obras públicas. A Praça da Juventude é a principal obra da gestão do prefeito Wagner Sales. A primeira destruição da cobertura da quadra ocorreu em setembro de 2011, um mês após a inauguração. Refeita, a estrutura veio abaixo em novembro do mesmo ano e desde então não recebeu mais nenhum reparo.

Erguida no bairro Santa Terezinha, na periferia de Cruzeiro do Sul, um investimento superior a R$ 1,5 milhão, o que deveria ser uma área de lazer e de esportes para a juventude, foi transformado num autêntico monumento à corrupção e ao descaso com o dinheiro público, conforme denúncia do vereador Edvaldo Gomes (PC do B). O caso inclusive já chegou ao conhecimento do Ministério Público Federal (MPF), através de denúncia protocolada pela deputada federal Perpétua Almeida (PC do B-AC) a partir de informações do vereador.

Autora da emenda ao Orçamento Geral da União (OGU) de 2007, cujos recursos deram origem a obra, Perpétua Almeida relatou o caso, por ofício, ao Procurador da República no Acre, Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, e pediu que o órgão investigue o caso. “Solicitamos a Vossa Excelência a intervenção deste órgão para tomar as cabíveis providências junto à Prefeitura de Cruzeiro do Sul referente ao Centro da Juventude Doverley Dias de Souza objetivando o não prejuízo ao erário e o estabelecimento das atividades normais pelos populares interessados em usufruir as estruturas do referido centro”, disse a deputada em ofício datado do dia 24 de novembro de 2011.

De acordo com o vereador Edvaldo Gomes, a situação atual da obra, ameaçando ruir e sem utilidade, “é um retrato fiel da corrupção e da irresponsabilidade da prefeitura de Cruzeiro do sul, na gestão do prefeito Wagner Sales”. Para Gomes, a obra ruiu por duas vezes porque a empresa responsável pela execução, muito ligada à administração do prefeito Wagner Sales, utilizou material de qualidade inferior e por isso mesmo de menor custo a fim de fazer sobrar dinheiro com o qual o prefeito pretende fazer caixa de campanha. “Isso é o que todo mundo sabe em Cruzeiro do Sul: o prefeito Wagner Sales está preocupado apenas em fazer caixa para campanha para tentar se manter no poder ou eleger um candidato da confiança deles para manter esses esquemas. É o velho esquema de fraude do PMDB que está mais forte do que nunca na Prefeitura de Cruzeiro do Sul”, apontou o vereador Gomes.

Ouvido pela reportagem, o prefeito Wagner Sales defendeu sua administração. Segundo ele, a obra caiu pela segunda vez em face dos fortes temporais que assolam a região do Alto Juruá e também porque o projeto inicial, elaborado por técnicos de Brasília, não consideraram essas peculiariedades. De acordo com Wagner Sales, o projeto para a construção da praça esportiva veio pronto de Brasília, um projeto padrão para todo o país enviado pelo Ministério dos Esportes. “Trata-se de um projeto básico. Nossa Prefeitura seguiu o projeto à risca. Tanto é que a obra foi aprovada pela Caixa Econômica Federal, que liberou os recursos, como o próprio Ministério dos Esportes. Mas caiu por duas vezes”, disse o prefeito.

De acordo com Sales, foi exatamente o rigor da Prefeitura em seguir o projeto original que ocasionou os problemas. “Pelo menos foi isso que me passou a empresa executora. Seus técnicos me disseram que houve um erro do projetista, uma vez que não considerou os ventos e os temporais da região. Como a cobertura é muita alta, num temporal maior, a cobertura foi embora. Consertado, num segundo temporal, repetiu-se o problema”, revelou o prefeito.

Mas o problema será corrigido em definitivo, garantiu o prefeito. “Nossa administração exigiu que a empresa responsável solucionasse o problema. E a empresa nos garantiu que, mesmo não sendo ela a responsável pelas falhas no projeto, vai corrigi-lo em definitivo, para nunca mais cair”, garantiu Wagner Sales.

O vereador Edvaldo Gomes volta à tona para questionar às afirmações do prefeito em relação aos temporais. “Se é verdade que a obra foi derrubada por causa dos temporais, por que a ventania derrubou apenas a obra pública e não as demais casas ao redor, que são mais antigas e de qualidade bem inferior?”, indagou o vereador. “Esse temporal é o da corrupção”, acrescentou.

Quanto às denúncias de que a principal causa nas falhas das obras é a corrupção, o prefeito disse que isso trata de uma tentativa dos adversários de sua administração que estariam temendo que ele seja candidato à reeleição. “Essas denúncias são coisas da política, infelizmente”, disse o prefeito.
Fonte:Batelão do Juruá

Share this:

Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário