O CONTO QUE NÃO PROSPEROU




Muito se falou no fim do mundo no recente ano que se passou.
Várias pessoas saíram pregando a dizimação de uma parte da raça humana enquanto que outra  seria arrebatada.  Nada disso aconteceu, exceto para alguns mais “cegos” que acreditaram em campanhas publicitárias. 

Marketeiros se aproveitaram do suposto advento e “caprichosamente” laçaram campanhas persuasivas com o seguinte lema:  “ Imperdível! oferta de fim do mundo: compre tudo que quiser até o dia 21 de dezembro, se o mundo acabar  você não paga nada, caso contrário inicie o pagamento  em suaves parcelas a partir do dia 22, um dia depois” . 

Acredite se quiser, o comercial foi “deletado”, pois ocorreu um impacto significativo na venda de produtos após o lançamento da campanha. Foi preciso a intervenção  dos “capa preta” objetivando evitar o fim do mundo para os mais consumistas. Difícil mesmo é acreditar que algumas pessoas que “residem” num país bem posicionado na existência  instituições com ensino superior, ainda mantém uma cultura supersticiosa como o fim do mundo que não aconteceu. Certo amigo ainda me falou recentemente:  “Esse tipo de gente que cai num conto vergonhoso,  não merece desconto”. 

Por outro lado tem que atentar-se para um  detalhe interessante. Quem vivia propagando esse advento,  era quem menos acreditava no fim do mundo, mas tentava convencer a qualquer custo os seus semelhantes, usando a ingenuidade desses. Um certo Galileu uma vez advertiu tais supersticiosos denominando-os de “sepulcros caiado” visando  prosperar essa falsa idéia.  É preciso talvez ponderar que os mensageiros da falsa idéia, são pessoas despreparadas, portadoras de uma leitura fundamentalista, não fazendo valer uma análise criteriosa, sendo necessário  conhecer o contexto histórico, econômico, religioso e político  do tempo que foi escrito os textos sagrados.  

Recomenda-se aos “preparados” que é preciso levar uma mensagem baseada no otimismo, esperança, solidariedade, fraternidade entre outras virtudes que motivam o indivíduo a desenvolver seus talentos e propósitos para o bem coletivo.  Bom seria que possamos viver um 2013 como disse o apóstolo João 10-10 “Eu vim para que todos tenham vida, as tenham em abundância”.

Jocelino Gonçalves
Jornalista MT. 0004413 -  SC 

Share this:

Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário