20 de fevereiro de 2013

A Falta de Políticas Públicas para Juventude em Cruzeiro do Sul



Em uma gestão moderna e que tem a amplitude representatividade popular, não pode deixar de fora do corpo gestor, a pirâmide organizacional da representatividade governamental dentro da gestão. 

Digo isso para cobrar dos novos prefeitos, espaços para os segmentos até entao esquecidos e que começam a ganhar políticas de ações na nova sociedade.

A prefeitura de Cruzeiro do Sul, continua com um modelo centralizador e arcáico de fazer sua gestão. Não dar para se admitir que, na segunda maior cidade do Acre, não tem representação dos povos indígenas, mulheres, direitos humanos e principalmente Juventude.

A dinâmica do poder, deve se decentalizada e participativa. Faz tempos que a juventude dse Cruzeiro do Sul, não tem uma gestão que der um choque de inovação! Que der uma resposta as deficiencias de apoio a este importante segmento da sociedade.

A violência, as drogas, o desemprego, são algumas das mazelas sociais que estão triturando nossa juventude.Prova da reprovação desta gestão frente as políticas públicas de juventude, foi a rejeição em 75% do eleitorado jovem de nosso município. 

Faz quase quase um ano, que o projeto da criação do conselho municipal de juventude, encontra se engavetado na mesa do prefeito. Talves ele não goste de ter jovens atuantes e dispostos a mudar o futuro de nossa cidade.

Onde estar o cumprimento das promessas feitasco? 

A política de funcionamento das praças de esportes, Política cultural, política de empregos, Inclusão social, são coisas distantes.

Esperamos atitudes de nossos vereadores, a entrar na luta da Juventude, a ser a voz dos que não falam e muito menos tem vez na gestão.

Vamos a luta, para transformar o sonho em realidade!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário