A Violência Já Tirou muito de Nós!




Quero trazer o debate sobre a violência no Acre novamente, pois virou pauta do dia em todos os jornais e noticiários do estado. A juventude que tanto almeja realizar sonhos, formação acadêmica, carreira profissional,ver a cada dia as coisas ficarem cada vez mais fora de nosso alcance.

Uma pena que somente uma minoria de jovens, consegue galgar espaços de destaque na sociedade atual. O sistema é excludente, para uma parcela significativa da sociedade que é a juventude.

A onda de violência se alastra a cada dia, nos quatros cantos do Acre. Cidades como Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Sena Madureira e a Capital Rio Branco, cidade que assusta pelo crescente índice de assaltos.

A violência traz o sentimento da criminalidade, da sociedade para com a juventude. Criminaliza negros, pobres e milhares de pessoas que não conseguem se inserir no contexto social.


Falta de Esporte, Cultura, lazer, formação profissional e estrutura familiar. Fatores que desencadeiam em desfavor da Juventude, maior afetada por conta da ausência dos setores responsáveis da sociedade, sejam em que esfera for. 

Precisamos fazer uma delicada avaliação das políticas públicas de juventude implementadas, o que realmente queremos e o qual a solução mais eficaz, na redução dos danos causada a nossa juventude? 

Chega de brincar de cuidar da gente, chega de fazer de conta que estamos desfrutando de cultura, esporte e qualificação profissional. Não podemos admitir que os bairros das cidades, tenham bares em cada esquina, quando deveria ter mesmo era; Quadras de esportes, praças de lazer, casa de leitura, centros de juventudes, com oficinas de danças, teatro e formação profissional.


Os centros de juventudes e as praças de convivência e lazer precisam funcionar. Pois os existentes estão mal cuidados e entregue a irresponsabilidade de quem deveria executar tais políticas.

Mais da metade dos presidiários são jovens e a grande maioria, penalizados pelo tráfico de drogas, outra parte por roubos e assaltos.  Esta realidade precisa ser rediscutida e isso é tarefa de todos nós.


Queremos ver a juventude em destaque, nos noticiários e primeiras páginas de jornal. Não cometendo crimes, mas brilhando; na cultura, esporte e na carreira profissional.

Chegou a hora dos jovens acreanos despertarem, sair da caverna do comodismo e exigir o que por direito é nosso. Vamos acompanhar o processo político de perto, vamos ocupar espaços de poder e dizer que nós queremos sim mudar esta realidade cruel e que só nos traz prejuízos.

Quando soubermos do poder de transformação que temos, através do nosso poder de mobilização, certamente a realidade será outra.

Share this:

Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário