31 de março de 2016

Vontade de Sair do Governo Era do Temer e de Cunha, por isso PMDB está espatifado!

Ministros do PMDB tentam ficar nos cargos e apelam a Renan: "Nas mãos de Dilma"


De Brasília

  • Pedro Ladeira/Folhapress
    A ministra da Agricultura, Katia Abreu, escreve mensagem relatando que os 6 ministros do PMDB fecharam acordo para não deixar o governo
A imposição do diretório nacional do PMDB para seus membros deixarem os cargos no governo Dilma Rousseff foi ignorada nesta quarta-feira, 30, pelos ministros da legenda. A moção aprovada anteontem determinava a "imediata saída". A tendência, contudo, é de que os peemedebistas, que atualmente ocupam o primeiro escalão do governo, coloquem nas mãos de Dilma a decisão sobre a permanência nos cargos.
Esse entendimento foi discutido ontem em encontro realizado entre a presidente e alguns dos ministros do partido, que pretendem ficar no governo. "Hoje (ontem) nós discutimos com a presidenta e fizemos algumas avaliações do cenário. Voltaremos a ter um encontro com ela até sexta-feira para dialogar sobre esse tema", afirmou ao Estado o ministro dos Portos, Hélder Barbalho.
O ministro é filho do senador Jader Barbalho (PA), fundador do PMDB e um dos principais críticos à decisão pelo desembarque. Sobre a influência que a decisão do PMDB terá na permanência dos ministros, Hélder respondeu: "Pergunte para quem esteve lá, eu não estive".
Entre os critérios que deverão ser pesados na decisão de Dilma pela manutenção dos ministros do PMDB está o potencial de votos de cada um contra o processo de impeachment. Segundo integrantes do governo, até sexta-feira, a presidente também deverá ter definido o mapa de um novo bloco de apoio de partidos da base aliada. Entre as siglas que podem ter os espaços ampliados com os ministérios do PMDB estão PP, PR e PSD.
Além do ministério de Portos, o PMDB comanda atualmente as pastas de Minas e Energia, Agricultura, Saúde, Ciência e Tecnologia e Aviação Civil. Na véspera do encontro do diretório do partido, Henrique Eduardo Alves, indicado pelo vice-presidente Michel Temer, deixou o Turismo.
Mensagens
Num tom acima do adotado pelo ministro Hélder Barbalho, a ministra Kátia Abreu (Agricultura) recorreu ontem às redes sociais para dizer que também não pretende deixar o governo. As mensagens foram publicadas instantes depois de uma foto publicada no site do jornal "Folha de S.Paulo" flagrar uma troca de mensagens entre ela e um interlocutor. O texto dizia que ela e mais cinco ministros do PMDB ficariam no governo depois de se licenciarem do partido.
Pessoas próximas da ministra informaram à reportagem que ela não manifestou desagrado com o vazamento da mensagem e que até riu da situação. "Continuaremos no governo e no PMDB. Ao lado do Brasil no enfrentamento da crise", escreveu a ministra no Twitter. "Deixamos a presidente à vontade caso ela necessite de espaço para recompor sua base", afirmou. "O importante é que na tempestade estaremos juntos", concluiu.
Os ministros peemedebistas também procuraram o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que conversou separadamente com Eduardo Braga (Minas e Energia), Marcelo Castro (Saúde), Kátia Abreu e Helder Barbalho, horas depois do encontro do diretório nacional. "Eles próprios não tinham ainda definido o que fariam. E ficaram, segundo me disseram, de conversar com a presidente da República, que ao final e ao cabo é quem cabe dizer se eles vão ficar ou sair", afirmou Renan.

Um comentário:

  1. Ai reside a grande diferença entre uma equipe e um bando de indivíduos. A maioria dos partidos não têm uma base ideológica e decorre dai a formação do "balaio de gatos" , ou seria mais apropriado "balaio de ratos" ? Verifica-se que até O próprio PT, viu-se contaminado por elementos nocivos aos seus princípios . O Senador Delcídio por exemplo : era do PSDB e foi para o PT , para tornar-se figura de destaque e força politica no MS. Viveu seus momentos de glória até que fosse pego demonstrando que na verdade não era probo como parecia, mas um inimigo na trincheira do PT. Até delator virou. Pior, pode ter inventado factoides por pura vingança. Quanto ao caso objetivo do Deputado Eduardo Cunha e do Vice Presidente Michel Temer ,penso que : o primeiro pelo menos é aquela serpente inteligente ( mas serpente-ardilosa ) e o segundo um sapo vaidoso , preguiçoso , de raciocínio lento que vislumbrando a possibilidade de vir à ser Presidente, sem que tenha passado pelo crivo das urnas, deixou-se seduzir pela serpente e o bando de ratos que circula nos porões da Assembleia. Confiou e mergulhou de cabeça numa piscina que não se sabe bem se estava meio cheia ou meio vazia e quebrou toda a cara. Perdeu uma boa chance de saber esperar, ter serenidade , a integridade que se espera de uma pessoa investida do cargo que exerce. Entregou de bandeja uma partida que se apresentava difícil. Os gulosos perdem porque vão com muita sede ao pote.

    ResponderExcluir

Deixe Seu Comentário