Por Que os Covardes e Intolerantes Escolheram as Redes Sociais como refúgio perfeito?

Por que tanta intolerância nas redes sociais?



Nos dias de hoje, onde a internet está presente em praticamente todos os âmbitos e de várias formas em nossas vidas, o simples fato de comentar alguma polêmica da sociedade ou expressar uma opinião nas redes sociais, pode ser motivo de raiva e de discussão entre os usuários da rede, amigos ou não, seja no Facebook, Instagram ou Snap Chat. A intolerância faz com que as pessoas não aceitem tão facilmente a opinião alheia e também gera um fenômeno de ódio nos meios virtuais.

Segundo a psicóloga Andrea Bragatto, da Clínica de Psicologia Antonio Elmo, isto acontece porque vivemos numa sociedade descartável, com relações superficiais. “As pessoas não têm tempo de olhar para o outro, são pouco solidárias; vemos muitas ações de racismo, maldade e desrespeito com o próximo. Tudo isso se reflete também nas redes sociais, que ao invés de serem usadas com bom senso, de forma produtiva e saudável, acabam sendo um espelho dessas relações destrutivas, disseminando o ódio, o preconceito e o comportamento inadequado que, na verdade, já existiam”, ressaltou.

A psicóloga também destaca que o falso anonimato na internet – quando se cria um falso perfil nas redes sociais – dá uma sensação de segurança para aqueles que manifestam sentimentos negativos nas redes sociais. “Por meio da internet, as pessoas podem manifestar seus sentimentos negativos e xingamentos à outra pessoa por ser uma maneira mais simples de fazê-lo, o que se configura numa forma covarde, pois um click ou palavras digitadas são muito mais fáceis do que um diálogo olho no olho. Isto mostra que, ao colocar esta raiva para fora, a pessoa demonstra estar muito mal resolvida com o outro, consigo mesma e com o mundo. Podemos ter conflitos para serem resolvidos, seja por algum trauma ou ferida. Sendo assim, deveríamos olhar para o nosso interior e buscar autoconhecimento, por exemplo, por meio da leitura de livros, conversas com amigos, psicoterapia, e encontrar uma melhor forma de resolver estas questões”, ponderou Andrea.

Em contrapartida, Andrea Bragatto ressalta que existem movimentos na internet que vêm para mostrar que há solidariedade e um lado positivo em tudo isso. “Da mesma forma que algumas pessoas usam as redes sociais para disseminar frases racistas e fazer ameaças, tem o outro lado da moeda, que é utilizar a internet não para denegrir as pessoas e ser agressivo, mas por uma causa nobre, como fazer novas amizades, informar o nascimento de uma criança, fortalecer relações, dentre outras”, concluiu a psicóloga.

Share this:

Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário