29 de abril de 2016

Professor é Esfaqueado em Cruzeiro do Sul, Apenas por Ser Homossesual

Família de professor esfaqueado diz que crime foi motivado por homofobia

O homem está na UTI do Hospital do Juruá em estado gravíssimo

 
c30a333e-f249-467e-9b0b-83346c93d47a
A família do professor Olásio Ricardo Ferreira Pinheiro, de 36 anos, esfaqueado no último domingo (24/04), na Comunidade Boca do Môa em Cruzeiro do Sul (AC), diz que o crime foi motivado por preconceito, em razão da vítima ser homossexual, caracterizando como homofobia. A família e amigos pedem a prisão do suspeito, que ainda encontra-se em liberdade.
De acordo com uma testemunha, que preferiu não se identificar, assim que a vítima chegou ao local do crime, já começou a receber piadas preconceituosas do suspeito. Ele conta que o rapaz foi esfaqueado apenas por ser homossexual. Ele conta conhecer o suspeito e que a vítima não deu razão nenhuma para ser furada.
Outro amigo de Olásio, Nadson Silva de França, também é homossexual, e pede justiça.
“Isso é homofobia. Olásio é uma pessoa do bem, nunca fez mau para ninguém, estava lá tranquilo e dançando, não tinha motivo para ninguém fazer isso com ele. Isso foi simplesmente preconceito. O que aconteceu com ele podia ter acontecido com qualquer um de nós. Agora ele está lá entre a vida e a morte e quem fez isso com ele está solto. Se a justiça não prender fartemos justiça com as próprias mãos”, falou o amigo.
A irmã da vítima, Ana Lívia Ferreira Pinheiro, contou que o suspeito ainda não foi preso devido o juiz ainda não ter expedido a prisão preventiva.
“Eu peço a esse juiz para expedir essa prisão, peço a família do rapaz que furou meu irmão para por favor se colocar em nosso lugar, ver o sofrimento que estamos passando e entregar ele, pois é o melhor que podem fazer”, implorou a irmã.
Olásio Ricardo encontra-se em estado gravíssimo na  Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Juruá.
Por Vanísia Nery