7 de maio de 2016

CRM -Acre lança Nota de Repúdio Contra Gherlen Diniz e Eliane Sinhazinque


As constantes mortes de mulheres na Maternidade Bárbara Heliodora em Rio Branco, vem sendo assunto na imprensa, rodas de conversas e principalmente pelos Deputados Estaduais na Tribuna da Assembleia do Acre.
Alguns parlamentares aproveitam a dor das famílias, que indignadas por perderem seus bebes escancaram suas emoções em busca de explicações. Deputados fazem dessa dor  paco politiqueiro, sem sequer terem em mãos laudos periciais e elementos para fazer cobrança fundamentada ao estado, alguns chamam médicos e funcionários da Maternidade de Criminosos, jogando assim a população contra esta importante instituição, que presta um importante papel ao povo de Rio Branco.

Esta semana, os deputados Gherlen Diniz - PP e Eliane Sinhazinque - PMDB, passaram dos limites, causando revolta aos funcionários da Maternidade, quando foram chamados de criminosos. 
Os nobres deputados tem  autoridade política e social para fazer da forma correta uma investigação técnica sobre os casos em questão na maternidade. Na ALEAC tem a comissão de Saúde, o que a mesma está fazendo? não podem montar uma comissão, junto com Sindicato e Conselho Estadual de Saúde, para averiguar as mortes?

Claro que tudo isso é possível, o problema é que dessa forma não dar palanque e sensacionalismo político. os Funcionários da Saúde, trabalham sobrecarregados, cuidando de vidas e são pessoas responsáveis, portanto é justo que as cobranças sejam não somente no desempenho humano, mas na estrutura de trabalho, valorização salarial e tantas outras deficiências enfrentadas pela categoria, coisa que os nobres deputados não enxergam.

O Médico e deputado Jenilson Leite - PCdoB, articula uma reunião com o CRM e Representantes da SESACRE, que junto a ALEAC farão de forma responsável para essa polêmica. Segundo o deputado Jenilson Leite não é aceitável a postura dos colegas de parlamento, pois só atrapalha a boa convivência entre profissionais e sociedade. 

Vejam abaixo, a Nota lançada pelo Conselho Regional de Medicina do Acre

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ACRE
NOTA DE REPÚDIO

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Acre vem por meio desta nota repudiar a fala dos nobres deputados Eliane Sinhasique e Gherlen Diniz que durante sessão na Assembléia Legislativa do Acre no dia 4 de maio de 2016 proferiram discursos denegrindo frontalmente a imagem de todos os que trabalham na Maternidade Barbara Heliodora, em especial a dos profissionais médicos. 

A nobre deputada Eliane Sinhasique, ao expor sua opinião afirmando que protocolos matam, ceifam vidas e causam seqüelas, fala contra a utilização de um importante instrumento de melhoria de qualidade em qualquer serviço de saúde no Acre, no Brasil e no mundo. Protocolos são a ponta da ciência, das melhores evidências de práticas em saúde reconhecidas internacionalmente em prol dos melhores resultados. Não importando se em um serviço público ou privado, em um grande centro ou em áreas remotas, eles são a chance de que os pacientes recebam o melhor atendimento, aquele que reconhecidamente em literatura científica leva à melhor chance de um desfecho favorável. A ocorrência de eventos adversos como os citados por vossa excelência não invalidam esses protocolos. O abandono dos mesmos é um retrocesso em saúde pública e nenhum cidadão, especialmente aqueles revestidos de autoridade pública, com as responsabilidades inerentes ao cargo, deveriam clamar por isso.

Em relação à seriíssima acusação proferida pelo nobre deputado Gherlen Diniz de afirmar e reiterar de maneira categórica que há um médico homicida trabalhando na maternidade, este conselho repudia veementemente tal atitude, pois o fato que levou à perda da vida de um recém nascido ainda deve ser apurada em todas as esferas judicantes responsáveis, incluindo este conselho, que não será negligente na sua função de apurar os aspectos éticos médicos envolvidos no caso. 
Convém lembrar ao excelentíssimo deputado que só é homicida aquele que já tiver sido condenado pela justiça, dolosa ou culposamente e, portanto, a afirmação de vossa excelência além de carecer de embasamento, uma vez que não houve julgamento nem sentença, tende a aumentar as dificuldades historicamente enfrentadas por todos aqueles que compõem o universo do serviço de saúde pública: pacientes, médicos e profissionais não médicos, ao disseminar a desconfiança entre as partes. Figuras públicas como os nobres deputados Eliane Sinhasique e Gherlen Diniz que, devido ao cargo que ocupam, também tem suas parcelas de responsabilidade nas dificuldades enfrentadas pela saúde. Os discursos proferidos por vossas excelências contribuem para uma acentuação das crises enfrentadas pelos serviços de saúde por estarem carregados de prejulgamento, inaptidão técnica e acusações desproporcionais. O progresso da saúde pública não será alcançado através de atitudes como estas. 
Rio Branco, Acre, 05 de maio de 2016

VIRGILIO BATISTA DO PRADO
PRESIDENTE