Frente Popular do Acre: Se Repactua ou Finda um Ciclo

As Forças de esquerda estão sob prova, vivemos um histórico importante momento da política brasileira e conseqüentemente, uma constante resistência das conquistas sociais obtidas nos últimos 13 anos. Precisamos reafirmar aquilo que é nosso maior patrimônio, que é a democracia, que tem sido colocada a prova pelas forças reacionária e mais conservadoras da direita.

Unidade da Esquerda

É momento da esquerda se manter unida e forte, mirando o compromisso com a nossa luta e acima de tudo temos que está atentos nas movimentações do congresso nacional, que tem posto em pauta as mais atrasadas e conservadoras idéias que podem trazer retrocessos ao nosso País.  

Com o cenário Nacional, a política de aliança no Brasil inteiro está movimentada e se reformulando, outras se desfazendo e alguns movimentos novos surgindo, com cenário de crise e turbulência da nossa política.

No Acre esse cenário de Brasília, precisa ser visto com muita cautela, pois aqui existe uma das alianças de maior tempo de construção da política brasileira.

A FPA, precisa se repactuar politicamente.

Uma aliança que pode ser considerada uma das mais vitoriosas da história da política brasileira, mas que vive um momento de necessidade de reafirmação ideológica e do compromisso coletivo para unificação de sua força.

Ao longo de quase dezoito anos de sucessivas vitórias, são inúmeros os avanços obtidos e que mudaram a vida deste estado radicalmente. Mas quando se chega a tantos anos de poder se faz necessária uma repactuação política, tanto ideológica, quanto de postura e atuação satisfatória que possam influenciar positivamente, renovando as perspectivas por mais transformações sociais do povo.

As Apostas que não fizeram bem

Até porque, no decorrer desse tempo algumas alianças se constituíram não pelo conteúdo e projeto de construção, mas sim pela possível vitória eleitoral. Fatos como estes foram trazendo os aproveitadores e profissionais da política, que aos poucos desconfiguram a imagem do compromisso social e dos interesses coletivos.

As eleições municipais deste ano, darão oportunidades para que a FPA possa se reagrupar e reafirmar sua unidade, no ponto de vista da construção de disputas forte e amplas, em todas as cidades do estado. Isso pode apontar para um bom cenário em 2018.

Eleições de 2016


O PT – Partido dos Trabalhadores, como força majoritária desta aliança, precisa ter a humildade e firmeza de pontuar os equívocos e superar com diálogo e solidariedade dos aliados. Seus dirigentes não podem menosprezar os problemas, que vão da hegemonia a falta de diálogo com aliados. Fazer essa autocrítica e indispensável, caso queira apontar novas perspectivas de futuro, ao contrário; podemos enxergar friamente o início de um fim de ciclo da historia política local.


Francisco Panthio
Militante do PCdoB E da FPA 

Share this:

Comentários