21 de junho de 2016

Vitória dos Estudantes: MPE Estipula Prazo Para o Prefeito Vagner Sales Regulamentar o Transporte Público



A pedido da UNE e da UESA, Estudantes, empresários, prefeitura, Câmara Municipal e DETRAN participam de uma audiência no Ministério Público do Estado do Acre, para discutir uma solução sobre transporte público em Cruzeiro do Sul.


A Reunião aconteceu nesta terça - feira 21 de junho, as 10 horas da manhã, fruto de uma ação movida pelo movimento estudantil, contra a prefeitura do município, haja visto o descaso com o transporte na cidade. 

Os estudantes denunciaram a gestão municipal, segundo Terezinha Fernandes: Representante da UNE, Já faz três anos que tentamos convencer o prefeito Vagner Sales, da importância que seria a regulamentação do serviço na cidade, principalmente para os acadêmicos do IFAC - Instituto Federal de Educação e da UFAC - Campus Floresta, que são os mais prejudicados pela ausência do mesmo.


Para o Estudante Jacson Queiroz, centenas de Estudantes estão deixando seus cursos por não terem condições de pagar uma tarifa alta e que é regulada pelos próprios empresários, que prestam o serviço de maneira informal.

Jacson faz questão de lembrar das diversas reuniões na Câmara Municipal, onde o movimento pedia que a quele poder intermediasse junto a prefeitura uma solução, que até o momento só tem prometido e nada mais. O estudante lembra que já se vai oito anos da gestão do prefeito Vagner Sales e todo esse tempo ele vem nos enganando, não só nós estudantes, como também a sociedade cruzeirense, que tanto depende desse serviço.

O Vereador Valdemir Neto - PT que também acompanha a luta dos estudantes, diz que a questão é de má vontade da prefeitura e que o motivo do transporte público ainda não está regulamentado, se dar por falta de prioridades da gestão e que pela falta de compromisso da prefeitura, centenas de estudantes estão sendo prejudicados.



Segundo o Coronel PM Alves, que coordena o setor municipal de transporte, as empresas atuam por meio de alvará, o que gera uma insegurança jurídica para o setor, limitando investimentos na melhoria da qualidade do transporte público. Segundo o Cel, a realização de uma licitação, contudo, poderia vir a encarecer ainda mais o preço das passagens.

O promotor Wendy Takao, parabenizou os estudantes pela luta e esforço para melhorar a vida dos colegas estudantes, que estão deixando de realizar o sonho da formação acadêmica, por negligência do poder público. O mesmo afirmou que, se fosse aplicar a lei de maneira estreita, isso significaria a interrupção do serviço, agravando o problema ao invés de solucioná-lo.
A solução, paliativa, encontrada pelo MP é a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), ficando a prefeitura comprometida com prazos determinado, para a regulamentação do transporte público em Cruzeiro do Sul.