Investigado na Lava Jato abre discursos na sessão do impeachment

Tribunal Formado por de Investigados

Segundo o doleiro Alberto Youssef, Gladson fazia parte do grupo do PP que recebia repasses mensais entre R$ 30 mil e R$ 150 mil da cota da legenda no esquema na Petrobras


Edilson Rodrigues/Ag. Senado
Gladson diz que declarou todas as doações que recebeu em 2014
Um dos parlamentares investigados na Operação Lava Jato, o senador Gladson Cameli (PP-AC) abriu a fase de discursos que antecede a votação do julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff. Aos 38 anos, Gladson é o mais jovem entre os senadores. Ele responde ao Inquérito 3989, da Lava Jato, pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e formação de quadrilha. Além dele, outros 25 senadores respondem a acusações criminais no STF.

Segundo o doleiro Alberto Youssef, Gladson fazia parte do grupo do PP que recebia repasses mensais entre R$ 30 mil e R$ 150 mil da cota da legenda no esquema na Petrobras. O senador diz que as doações no período eleitoral de 2014 foram obtidas de maneira lícita pelo seu comitê e aprovadas pela Justiça. O senador também é investigado por crime de trânsito no Inquérito 3533.
Em seu discurso, Gladson defendeu a cassação do mandato de Dilma, criticou a comparação do processo de impeachment a um “golpe” e disse instituições como o Supremo e o Congresso são “protagonistas dos avanços” que o país testemunha.
Ao todo, mais de 60 senadores já se inscreveram para discursar contra ou a favor do afastamento definitivo da presidente.

Share this:

Comentários