Secretário Municipal de Meio Ambiente da Prefeitura de Cruzeiro do Sul, Foi denunciado por Cobrança de Propina

Irlândio

Irmão de Ilderlei Cordeiro é exonerado de cargo de secretário na prefeitura de Cruzeiro do Sul. Motivo: cobrança de propina

O irmão do candidato Ilderlei Cordeiro, Irlândio Cordeiro foi exonerado do cargo de secretário municipal de meio ambiente.  A exoneração já consta no Diário Oficial, como tendo sido ‘a pedido do mesmo’.
O decreto, assinado pelo prefeito Vagner Sales exonerando o irmão do candidato por ele apoiado à sua sucessão, data do dia 14 de julho, mas somente agora as reais motivações tornam-se conhecidas.
Em Cruzeiro do Sul é de conhecimento público que Irlândio Codeiro vinha usando o cargo de secretário para cobrar propinas na forma de dinheiro, materiais e serviços do empresariado local.
Muitos empresários vinham se queixando do modus operandi do irmão  do candidato à prefeito, mas a maioria preferiu pagar a propina a denunciar a extorsão.
Um dos casos que ganhou notoriedade na cidade foi a do empresário do setor de limpeza, que foi obrigado a dar dinheiro e fazer duas dedetizações em troca de uma licença ambiental expedida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente.
Ocorre que Irlândio cometeu o ‘erro crasso’ de tentar cobrar propina em uma obra de Chiquinho Messias. O empresário fez jus à fama de incorruptível e avesso a todo e qualquer tipo de falcatrua. Já não foram poucos os que saíram com o rabo entre as pernas da Casa Amizade (loja de ferragens do empresário), depois de tentarem propor quaisquer formas de negócios escusos à Chiquinho Messias. Superfaturamentos e fraudes em licitações? Não conte com o empresário Chiquinho Messias. Todos na cidade sabem disso.
Mas Irlândio aparentemente ignorou o aviso e cobrou propina para uma obra vizinha à Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul. O empresário observou a lei municipal que proíbe de construir até cinco metros em cima do canal do Boulevard Thaumaturgo, mas mesmo assim, o secretário teria cobrado propina para que a secretaria expedisse a licença de ocupação do solo. Sorrateiramente, foi enviada uma nota no valor de cinco mil reais ao empreiteiro que toca a obra, referente à compra de material de construção em uma loja da cidade.
O empresário, obviamente, não aceitou a extorsão e a situação do secretário, mesmo sendo do staff do candidato à sucessão, ficou insustentável.
Infelizmente, a atitude do empresário é ainda uma gota d’água no oceano de propinas e irregularidades cometidas através do poder municipal. Como por exemplo, a do empresário que obteve, por meio de favorecimento do secretário de obras, irregularmente, um alvará de construção de um prédio residencial dentro de área pública. O caso está no Ministério Público Estadual.
Ladrão de Galinha
Talvez surpreendam os baixos valores pedidos como forma de propina, mas a história mostra que não devemos subestimar os ‘ladrões de galinha’. Mormente são os mais vorazes e aumentam o produto do furto, em função do tamanho do galinheiro.
Às vésperas da eleição municipal, que de um modo ou de outro, irá encerrar a era Sales na prefeitura, uma denuncia de cobrança de propinas como esta, deveria, colocar o TRE em estado de alerta. Afinal, arrecadações dessa natureza não precisam ser ‘declaradas’ e podem ser utilizadas em gastos de campanha ou mesmo na compra de votos.
Obra
Obra: empresário observou os parâmetros exigidos pela prefeitura, ainda assim, secretário cobrou propina.
Os interesses de Vagner na eleição de Ilderlei Cordeiro vão bem além dos professados em palanque.
Ficha-suja, réu em quinze processos por improbidade administrativa na justiça estadual, condenado em três instâncias e agora também com os bens bloqueados pela justiça federal (ufa!) é vital para Vagner Sales que seu sucessor não mexa nas gavetas e mantenha a caixa preta fechada.
Vale recordar. O primeiro gesto de Ilderlei, quando vice de Zila Bezerrra, foi romper com a mesma alegando ‘falta de espaço’. Contudo, a própria prefeita defendeu-se à época, afirmando que Ilderlei tentou impor à prefeitura compra de uma área de terra como forma de recuperar-se dos gastos de campanha.
E por falar em galinheiro…
Ainda ecoa na boa memória cruzeirense o achincalhe promovido por Vagner Sales a Ilderlei Cordeiro durante a campanha de 2008, sobre a suposta má gestão dos negócios da família, entre elas, uma granja:
-Você não foi capaz de cuidar de um galinheiro, como se acha capaz de cuidar de uma cidade?  
Deveríamos ouvir o coronel. Afinal, se tem uma coisa que uma velha raposa conhece bem, são os galinheiros.

Share this:

Comentários