A Comissão de Ética da Presidência da República decidiu, por unanimidade, abrir procedimento de investigação para apurar a conduta do ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante a campanha eleitoral deste ano.
O ministro teria feito promessas de construção e melhorias em hospitais durante eventos de candidatos a prefeituras no Paraná. Ele participou também de eventos eleitorais em dias de agenda oficial.
Segundo a Comissão de Ética, uma das regras que deve ser observada pelos agentes públicos é que, durante o período eleitoral, é proibido prometer cargos, obras ou verbas que dependam de sua atuação na função pública.
O ministro já foi notificado da abertura do processo e tem um prazo de dez dias para apresentar a defesa por escrito.
Entre as penalidades previstas pela Comissão de Ética estão desde uma simples advertência até uma recomendação de exoneração do ministro.
*Informações da repórter Luciana Verdolin