Deputado Onyx Lorenzoni do DEM, vai Processar Renan, Por Ter feito Piada de Seu Nome

 

Onyx entra com queixa-crime no STF contra Renan por calúnia

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) entrou com uma queixa-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por calúnia, injúria e difamação.

Ao O GLOBO, Lorenzoni disse que decidiu entrar com essa ação após Renan citá-lo em declarações em plenário, ao final de uma sessão no último 1º, destinada discutir o projeto que trata do abuso de autoridade.

Antes de encerrar os trabalhos, Rena chamou Lorenzoni de "Lorenzetti", em referência a uma maca de chuveiros. Renan disse, ainda, que Onyx recebeu caixa 2 da indústria de armas.

"Ele [Renan] inventou tudo isso na hora só para me atacar", desabafou Onyx.

O teste de integridade, proposto pelo Ministério Público Federal no pacote anticorrupção, foi uma das medidas retiradas pela Câmara durante a votação da proposta. Consistiria na simulação de situações sem o conhecimento da pessoa para verificar a predisposição de cometer atos ilícitos.

Ao Estado, o deputado disse que foi agredido de forma “absolutamente desqualificada e indevida” após o juiz federal Sérgio Moro elogiá-lo em audiência pública no Senado, na semana passada.
O evento foi promovido pelos senadores para discutir o projeto de lei que trata de abuso de autoridade e estava previsto para ser votado ontem no plenário.

“Só quero mais uns aninhos (de cadeia) para ele (Renan), que merece. Vai brincar com a honra de quem ele quiser, menos com a minha. Ele mede todo mundo pela régua dele”, disse Lorenzoni após protocolar a queixa-crime no Supremo.

Na ocasião, o peemedebista usou ironia ao se referir ao deputado do DEM. “Com todo respeito, e em favor dele, eu queria dizer que o teste de integridade vai fazer muita falta, porque pesava sobre ele uma acusação de ter recebido caixa 2 de indústria das armas, e seria uma oportunidade para que ele, nesse teste, pudesse demonstrar o contrário, com o meu apoio”, disse Renan na audiência realizada no Senado.

Share this:

Comentários