12 de setembro de 2017

Perguntado se iria ao evento do PMDB Rocha dispara: “não vou em festa vigiada pela PF”.

O Tucano ainda sugeriu que os PMDBistas pedissem liminar, para que Geddel Vieira Lima, que está preso possa participar do evento em que o Márcio Bittar será oficialmente apresentado a militância, prestigiado pelo presidente nacional da sigla; Romero Jucá.


 blog do Crica: a redação ac24horas  
O deputado federal Major Rocha (PSDB) rompeu de vez com qualquer possibilidade do seu grupo apoiar a candidatura ao Senado do ex-deputado federal Márcio Bittar (PMDB). “Nós não vamos nos aliar em quem vive de patrocinar matérias constantes em um site destinadas a me atacar e ao partido”, destacou. Rocha diz que, o compromisso do seu grupo é exclusivamente com a reeleição do senador Petecão. 
Para ele, os ataques que ele e o seu partido sofrem sob a coordenação do peemedebista não o prejudicam em nada: “sou candidato à reeleição, o prejudicado será ele por não ter o nosso apoio, já que disputará uma cadeira de senador”. Sobre a festa de filiação de Márcio Bittar em Rio Branco, em que estarão presente os senadores Romero Jucá (PMDB) e possivelmente Renan Calheiros (PMDB), implicados na Lava Jato, Rocha promete passar longe: “com certeza a PF estará vigiando as lideranças do PMDB que vierem, e em festa vigiada pela PF, prefiro ficar distante”, comentou com ironia o tucano Major Rocha.
Licença especial para Gedel
Rocha deu ainda como sugestão para que a direção regional do PMDB consiga na justiça uma licença especial para o cacique peemedebista Gedel Vieira Lima, que tinha 51 milhões de reais estocados, tenha uma licença do presídio em que se encontra para vir prestigiar a filiação de Márcio Bittar no PMDB. “A festa ficaria completa”, comenta o tucano ferino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário