28 de dezembro de 2017

Dois dedos de prosa com o pré candidato Governador do Acre Marcus Alexandre

A coluna fecha o ciclo sobre os candidatos a governador na eleição do próximo ano de forma democrática. Demos espaço ao candidato do PRTB, Lira Xapuri; ao candidato da maior aliança da oposição, senador Gladson Cameli (PP), ao candidato do PATRIOTA, Coronel PM Ulysses Araújo,  e hoje fechamos com a entrevista do candidato da Frente Popular do Acre, prefeito Marcus Alexandre (PT). Todos tiveram o espaço para a livre crítica. O contraditório prevaleceu. 
Na conversa de hoje com o petista falamos de Segurança, buracos na cidade, formação de chapas proporcionais, das suas promessas de campanha, das delações premiadas que o acusam de irregularidades no DERACRE, entre outros temas. Procuramos fugir das perguntas, tipo mamão com mel. Por o espaço desta coluna ser limitado, nós tivemos que enxugar para ficar o principal, sem perder o foco. Eis as perguntas e respostas.
BLOG DO CRICA- Um adversário ao governo, Coronel PM Ulysses Araújo (PATRIOTA), promete na campanha passar com um trator sobre a sua candidatura. O senador Gladson Cameli (PP) afirma que vai ganhar o governo no primeiro turno. E o senhor, como candidato do PT a governador, o que diz disso tudo?
MARCUS ALEXANDRE- Eu prefiro ficar com a humildade. De saber que vai ser uma eleição muito difícil, a gente sabe que a eleição não se ganha antecipadamente e se decide no período eleitoral, nos debates, no trabalho e apresentação de propostas, de projetos, quem decide a eleição é o eleitor e não os candidatos, eu prefiro ficar com a humildade de saber que será uma eleição dura. Vou procurar fazer a minha parte com o pé no chão, apresentar uma boa proposta e dialogar sempre com a sociedade.
BLOG DO CRICA – O senhor acredita que cumpriu todas as suas promessas de campanha?
MARCUS ALEXANDRE- No primeiro mandato, praticamente, todos os grandes compromissos que assumimos cumprimos. O grande maior compromisso foi com a Educação que era 5 mil vagas que a gente conseguiu gerar e agora vamos para 6 mil vagas no início do ano, 12 novas creches foram entregues, mais 3 serão entregues no início do ano; na Saúde, construímos 26 novas unidades de saúde, não temos uma casa alugada funcionando como unidade de saúde mais, construímos o novo Barral Y Barral , cumprimos a meta da Saúde, cumprimos a meta da Educação, avançamos na infra-estrutura da cidade, os terminais da integração que nos propusemos construir foram cinco, cumprimos. Só nos resta agradecer ao governador Tião Viana, presidente Dilma, ao atual presidente, á bancada federal, as parcerias.
BLOG DO CRICA – Como recebe as delações premiadas que o apontam como praticante de ilegalidades no DERACRE, quando o senhor foi seu dirigente. Isso não o assusta?
MARCUS ALEXANDRE – Eu vejo algumas coisas saindo em alguns sites. O que tem de concreto é que são investigações das quais 44 que foram abertas ainda no DERACRE 39 foram arquivadas, sobram 5 que sei que terão o mesmo fim. Toda vez que fui chamado a depor fui voluntariamente. Se a verdade prevalecer tenho certeza que a justiça vai ser feita. Estou bastante tranqüilo. Quem fala e afirma tem que provar o que está dizendo. No Brasil a delação ficou banalizada. Tem vazamento seletivo, eu disse, ouvi e falou. Sou a favor das investigações e quem afirma tem que provar.
BLOG DO CRICA- Caso ganhe a eleição, não teme pegar um governo endividado. Um novo empréstimo acaba de ser tomado no BNDES de 600 milhões de reais. Não lhe assusta?
MARCUS ALEXANDRE – Sei do tamanho da responsabilidade que o governador tem com o Estado, as instituições e o funcionamento dos serviços essenciais. O governador Tião Viana enfrentou grandes dificuldades neste período com crise econômica e perda de receita muito grande. Na prefeitura chegou a 22 milhões.  O governador tem mantido as contas em dias, e os serviços essenciais, diferente de alguns Estados como Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte.  Vejo as equipes da Finança, Planejamento, Administração muito dedicadas a deixar tudo muito equilibrado. Não seremos continuidade, vamos começar um novo ciclo, caso a população nos escolha.
BLOG DO CRICA – O calcanhar de Aquiles do atual Governo é a violência que chegou a índices alarmantes na Capital e no restante do Estado. O seu vice é o secretário de Segurança. Como vai falar de Segurança Pública com esta simbiose de difícil explicação?
MARCUS ALEXANDRE – A FPA teve a coragem de colocar este debate no centro da chapa majoritária. Estou muito honrado com a escolha do Emylson, um jovem trabalhador, um Delegado, que tem enfrentado esta situação com dedicação, expõe sua vida para cuidar da Segurança do nosso Estado. A violência é um problema conjuntural do Brasil, que ficou claro na reunião dos governadores no Acre, que precisa ser enfrentado. Vamos enfrentar este debate. Acredito muito nas nossas Polícias Militar e Polícia Civil, quanto mais condições forem dadas ás Polícias mais resultados vamos ter. Vamos a partir de janeiro trabalhar nosso Plano de Governo e apresentar as propostas com bastante objetividade.
BLOG DO CRICA- Chapinha ou chapão para Federal?
MARCUS ALEXANDRE – Não podemos montar chapas de deputado federal para perder votos. Não pode ter uma chapa forte e uma chapa fraca, porque influencia na chapa majoritária. Não temos uma receita pronta, vamos discutir. Acho melhor uma chapa que agregue todos.
BLOG DO CRICA- A cidade está com muitos buracos nas suas ruas. Como enfrenta estas críticas?
MARCUS ALEXANDRE- Essas críticas dos buracos, eu recebo como incentivo para trabalhar mais. Estamos fechando um ano que choveu 50% mais que a média. Aplicamos este ano 30 mil toneladas de asfalto. Mais que o ano passado. Mas foi o ano que mais choveu. Não pode faltar merenda na escola, salário do servidor em dias, as agendas esportivas, culturais, medicamentos, coleta de lixo foram mantidos e todas continuam regulares. Quem governa tem que ter decisão.  A partir de janeiro vamos intensificar os serviços. Em Rio Branco há 10 anos, de cada dez ruas apenas três tinham asfalto, hoje a média é oito para 10 ruas. A manutenção de ruas continua a ser um desafio.
FORA DA DISPUTAA secretária de Administração, Sawana Carvalho, comunicou à direção do PT que não será mais candidata a deputada estadual. Era a única mulher da chapa petista com potencial de competitividade. Ainda assim, para se eleger, teria que bater estrelas do seu partido. Nada impossível, mas também nada fácil. O PT fica com apenas uma mulher com chance concreta de ganhar a eleição: deputada Leila Galvão (PT).
ESFORÇO CONJUNTOA coluna tem informação segura que haverá um esforço conjunto das principais lideranças do PT que estão no poder, a que saia apenas uma chapa para deputado federal. Temem com duas chapas perder votos e vagas na Câmara Federal para a oposição, como já ocorreu em outras eleições. Não me causará nenhuma surpresa que isso possa vir a acontecer.
COM ESTE AGRAVANTEE com o agravante de que a chapa para deputado federal da oposição é única e tem nomes com muito potencial de votos. Um chapão na FPA vai esbarrar na resistência dos nanicos. Esta é uma disputa interessante que será dura e com desfechos imprevisíveis na Frente Popular.
ESSA É A QUESTÃOO problema é que os presidentes dos partidos pequenos estão sendo obrigados pelas direções nacionais a terem candidatos a deputado federa, para superar a cláusula de barreira, sem o que somem.
FORA DE COGITAÇÃODepois da entrevista que publico hoje com o prefeito Marcus Alexandre, saio com a mais absoluta convicção de que não há a mínima chance de recuo e dele vir ser substituído no comando da chapa para governador. Desistência é uma hipótese que fica só no campo do boato político. Não há hoje nada que o impeça juridicamente de disputar o governo e não existe na FPA,  outro nome com a mesma densidade eleitoral para lhe substituir. Ponto final.

Blog do Crica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário